Top 11 passeios

Aqui vão, sem ordem de preferência, nossos onze passeios prediletos em Paraty.

Tentamos fazer uma seleção variada. Tem praias, cachoeiras, trilhas, bicicleta…

x

CURTIR A PRAIA E ALMOÇAR NA BARRA DO CORUMBÊ

Uma ótima dica para quem viaja com crianças pequenas: curtir uma praia na Barra do Corumbê e almoçar no Quiosque Cheiro de Camarão, que serve ótimos frutos do mar.

A praia – a apenas 6 km de Paraty – é tranqüila e o quiosque tem uma boa estrutura para crianças, com chuveiro e banheiro.Dá para deixar as crianças brincando nas águas calmas da praia enquanto você saboreia um bobo de camarão, a casquinha de siri ou uma caipirinha.

Como chegar: km 565 da Rio-Santos.

••• Você também pode fazer esse passeio de bike usando serviços de aluguel da cidade •••

xxx

x

PASSEIO DE CAIAQUE PELO MANGUE DO JABAQUARA

Saindo das praias do Jabaquara ou do Pontal, você pode costear o morro do Forte e ver a cidade do mar. Lindo demais.

Quem tiver disposição de remar por cerca de 40 minutos pode atravessar toda a extensão da Praia do Jabaquara e passar em frente ao mangue. No fim do mangue, há uma pequena praia, acessível apenas por mar, muito bonita e sempre deserta. O lugar tem um restaurante abandonado. Há placas alertando para “cães bravos”, mas nunca vimos nenhum por lá.

Saindo da praia a continuando à esquerda – de quem olha para o mar – você vai chegar a outro mangue, um lugar tão lindo quanto misterioso, cheio de caranguejos e garças. Mas atenção: só dá para fazer isso na maré alta, ou você corre o risco de atolar no mangue. É sério.

Na ponta direita desse mangue, há um braço de rio, escondido entre as folhagens, que permite cruzar o manguezal e sair do outro lado no Saquinho do Corumbê, um lugar lindo e que praticamente desconhecido. É uma aventura inesquecível.

x

PASSAR O DIA NA PRAIA DO CÃO MORTO / ILHA DO CEDRO

O nome não é lá muito convidativo, mas a Praia do Cão Morto é um dos nossos lugares preferidos do litoral. É uma praia grande e tranqüila, com águas calmas e árvores que garantem sombra. Na extremidade esquerda da praia, de quem olha para o oceano, é possível ver tartarugas nadando próximas às pedras.

Felizmente, a praia não tem quiosques ou vendedores. Então não se esqueça de levar o que comer e beber.

Durante o verão, pescadores de São Gonçalo costumam fazer transporte para a Ilha do Cedro, um lugar paradisíaco que fica bem em frente ao Cão Morto. Vale a pena.

Como chegar: no km 547 da Rio-Santos, há um estacionamento. A entrada do lado direito dá na Praia do Cão Morto. Cerca de 300 metros à esquerda há outra entrada, esta para a ponta da Praia de São Gonçalo.

xx

VISITAR PRAIA GRANDE, PRAINHA, ILHA DO ARAÚJO

A dez quilômetros de Paraty, na direção do Rio de Janeiro, fica a Praia Grande, uma bucólica vila de pescadores. Na extremidade esquerda da praia – de quem olha para o mar – há uma trilha de cerca de 400 metros, que dá na Prainha, uma praia pequena e muito bonita.

Outra ótima opção é fechar um preço com um barco de pesca e visitar as praias da Ilha do Araújo, que fica bem em frente à Praia Grande. Recomendados a praia de Salvador Moreira, do lado oposto da ilha, uma beleza.

Como chegar: km 561 da Rio-Santos.

x

x

PASSEIO DE BIKE ÀS CACHOEIRAS DO CORISCO E À ESTRADA PARATY-CUNHA

Se você gosta de pedalar por paisagens bucólicas e depois tomar um banho de rio, uma boa dica é alugar uma bike (Sou+Bike: Facebook.com/soumaisbikep) e visitar o Poço da Laje e o Poço das Andorinhas, no Corisco.

Saindo do trevo de Paraty em direção a São Paulo, ande cerca de 1 km até uma placa indicado o Corisco. Entre à direita na estrada, que foi recentemente asfaltada.

O passeio é deslumbrante, passando por pastos e plantações. Você passará por pequenas vilas no Corisco. Há algumas subidas, então o ideal é estar em forma.

Os poços da Laje e da Andorinha ficam a cerca de 10 km da Rio-Santos e são muito bons para o banho.

Outro passeio bonito de bicicleta é subir a estrada Paraty-Cunha. Saindo do trevo de Paraty, há uma ciclovia que sobe a estrada. Sugerimos andar por 7 km até o restaurante Villa Verde e almoçar por lá. O passeio é uma beleza e o restaurante, também.

xx

EXPLORAR O SERTÃO DA GRAÚNA

De todas as regiões de serra aqui da região, uma das mais bonitas é o sertão da Graúna, que começa no km 562 da Rio-Santos, a 13 km de Paraty (atenção: uma laca na estrada diz km 558, mas a quilometragem correta é 562).

É um lugar lindo, com uma vegetação exuberante, cachoeiras e pastos verdes onde vacas, bois e cavalos passam dias tranqüilos.

x

x

x

PASSEIO DE BARCO PELA BAÍA DE PARATY

Uma das atrações mais populares de Paraty é o passeio de escuna. Costumamos indicar escunas pequenas, como a Porto Seguro, que sai com no máximo 40 passageiros, possui música ambiente de qualidade e tem um excelente atendimento.

Se você estiver em um grupo de três ou quatro casais, o legal é alugar um barco menor (recomendamos o Oceano, para até 25 pessoas), o preço per capita é quase o mesmo do passeio de escuna, com a vantagem de você poder fazer seu próprio roteiro e levar o que quiser.

Outra dica: as escunas fazem sempre o mesmo trajeto, visitando praias e ilhas concentradas em um lado da Baía de Paraty (Jurumirim, Engenho, Vermelha, Lula). São lugares lindos e que valem a visita. Mas preferimos passear no lado oposto da Baía, região mais vazia e que tem lugares inesquecíveis, como a Praia do Ventura, Praia do Pé do Morro e a Ilha do Cedro.

Outra dica: as escunas fazem sempre o mesmo trajeto, visitando praias e ilhas concentradas em um lado da Baía de Paraty (Jurumirim, Engenho, Vermelha, Lula). São lugares lindos e que valem a visita. Mas preferimos passear no lado oposto da Baía, região mais vazia e que tem lugares inesquecíveis, como a Praia do Ventura, Praia do Pé do Morro e a Ilha do Cedro.

x

VISITAR O SACO DO MAMANGUÁ

Sem dúvida, um dos lugares mais bonitos que já vimos. Talvez o mais bonito de todos. O Saco do Mamanguá é um fiorde, um braço de mar que “entra” pelo litoral por quilômetros, com paredes de morros dos dois lados. Fica bem perto de Paraty-Mirim, uma praia belíssima, onde há uma reserva indígena.

De Paraty-Mirim, você pode pegar um barco de pescador. Várias agências também organizam passeios ao Mamanguá.

Se puder, reserve pelo menos dois dias para explorar a região do Mamanguá. Há praias desertas, cachoeiras, mangue, e uma trilha linda que sobe o Pão de Açúcar, uma pedra de onde se tem uma vista inesquecível da Baía de Paraty.

A região é preservada e a estrutura turística, felizmente, é precária, o que garante a beleza e tranqüilidade do lugar.

xx

VISITAR A CACHAÇARIA MARIA IZABEL E PASSAR O DIA NA PRAIA DO ROSA

Logo após a entrada do Corumbê, na altura do km 568, indo em direção ao Rio, há uma pequena estrada de terra, à direita. Se você pegar esta estrada e andar 900 metros, chegará à sede da Cachaçaria Maria Izabel, alambique onde é fabricada a que muitos consideram a melhor cachaça de Paraty.

Lá, você pode degustar e comprar garrafas da Maria Izabel, além de curtir o visual para a Ilha do Araújo, que é lindo.

Na entrada do alambique, bem ao lado da cerca de madeira, há uma pequena trilha. Ela se estende por cerca de 500 metros, passa por um pequeno condomínio, e chega à Praia do Rosa, uma das jóias escondidas aqui do litoral. É uma praia linda, calma, e cheia de vegetação, um lugar maravilhoso e sossegado para passar o dia.

xx

x

PASSEIO PELO CENTRO HISTÓRICO

Não dá para visitar Paraty sem tirar uma tarde para explorar o Centro Histórico. Há muitos lugares charmosos ali, mas nossos prediletos são a Praça da Matriz, onde adoramos parar para tomar sorvete, e os casarões próximos à Igreja de Santa Rita.

x

x

x

x

x

PASSEIOS PELAS CACHOEIRAS E ALAMBIQUES DA REGIÃO

Você pode fazer um passeio de jipe ou também pegar o próprio carro e visitar algumas cachoeiras e alambiques da região.

x

x

x

x

x

FOTOS

Quem tiver disposição de remar por cerca de 40 minutos pode atravessar toda a extensão da Praia do Jabaquara e passar em frente ao mangue. No fim do mangue, há uma pequena praia, acessível apenas por mar, muito bonita e sempre deserta. O lugar tem um restaurante abandonado. Há placas alertando para “cães bravos”, mas nunca vimos nenhum por lá.